30 de dezembro de 2011

Retrospectiva de 2011 e perspectivas para 2012

Esse blog existe desde 2008 e essa é a primeira vez que faço uma retrospectiva sobre um ano que se passou. Resolvi fazê-la esse ano porque, em algumas oportunidades como aulas e palestras, sentia a necessidade de fontes de referência que complementassem aquilo que eu passava aos ouvintes e que eu pudesse disponibilizar mais informações e atualizar. Trata-se de algo importante, principalmente quando se precisa de pequenos resumos sobre um determinado ano.

Ao elaborar essa retrospectiva, tentei abordar pelo menos aquilo que, do meu ponto de vista, foi muito importante e deve ficar registrado inclusive para ser comparado no próximo ano, junto com vários artigos de referência para leitura.

Panda

Uma das atualizações do Google (ou "modificação algorítma" como preferiu chamar o Pedro Dias, ex funcionário do Google) mais comentadas pelo mercado de SEO nos últimos anos, mas que em minha humilde opinião para aqueles que praticam o essencial e justo do SEO, nada têm a temer. Nos projetos em que trabalhei esse ano, não vi nenhuma modificação alarmante.

Para aqueles que se preocuparam com um conteúdo de qualidade e submisso àquilo que o seu usuário precisa, um site com boa navegação e oportunidades atraentes, com certeza não sentiram grandes mudanças.

Artigos de referência:
Duplicate Content in a Post-Panda World
Google Panda finalmente lançado em Português
Google Panda Update
Google lança algoritmo Panda em português

Microformatos / Rich Snippets

Ainda na linha de coisas que imputam no SEO, os microformatos ganham cada vez mais espaço. Principalmente para resultados de busca local, trata-se de um ótimo recurso para a encontrabilidade de informações. Esse recurso fornece algumas possibilidades como atribuições para informações, marcações de produtos, datas, endereços, dentre outros.

Artigos de referência:
Ferramenta para teste de Rich Snippets
Rich Snippets, Microformats e como deixar seu site bonito no Google
Rich snippets (microdados, microformatos e RDFa)

Google Shopping

Demorou, mas chegou ao Brasil. Contudo, o e-commerce brasileiro ainda se prepara para os possíveis ganhos que vêm através dessa excelente ferramenta também. No início muita gente ficou meio sem entender o quanto isso poderia ser trabalhado e seus resultados, agora, já é possível perceber movimentos para medição e melhoria de resultados.

Imagem 01: Resultado de busca por "Notebook" no Google Shopping.

Trata-se de uma ferramenta que indexa produtos de sites de e-commerce e que, ao buscar por eles, o usuário poderá ver o resultado da pesquisa nesse formato do Google Shopping e também há a possibilidade da busca direta na própria ferramenta. Perceba, na imagem, que é possível comparar preços, verificar as lojas próximas, dentre outras funcionalidades bem interessantes ao usuário.

Artigos de referência:
Google Shopping – O que é e como funciona
Google Shopping chega ao brasil

Botão Google +1

Trata-se de uma ferramenta que possibilita a recomendação de resultados em listagens de buscas, artigos, notícias, etc. No início, pré-lançamento no Brasil e fora também, muitos previam grandes mudanças no comportamento do usuário, buscas, etc.

Imagem 02: Botão "+1" disponível nas listagens de busca.

O Google utiliza essa informação para exibi-la para outros usuários que fazem buscas por palavras-chave semelhantes. Contudo, as mudanças ainda são discretas. Talvez pelo pouco conhecimento do público sobre a ferramenta.

Artigos de referência:
O que é o Google +1
Botão Google +1

Google Circles

Na minha opinião, o Google Circles (integrado com o botão +1) é uma tentativa do Google de fazer um novo site de rede social como o Facebook. Contudo, por enquanto ainda não causa uma ameaça tão grande ao Facebook. A questão é, como foi possível ver acontecendo com o Facebook: as pessoas demoram um tempo para entender o site que abriga a rede social (como Orkut, Facebook, entre outros) suas funcionalidades e esse aprendizado do usuário é vital para o sucesso da rede, bem como para a entrada e adesão de novos usuários.

Creio que da mesma forma como aconteceu com o Facebook, que não era tão conhecido pelos brasileiros e hoje é, isso aconteça aos poucos com o Circles e também, da mesma maneira que uma "Orkutização" do Facebook (uma forma dos usuários expressarem que o Facebook está se tornando tão popular como o Orkut, percepção essa em virtude de algumas ações e utilização de novos usuários), esse processo aconteça também com o Cicles no futuro.

Artigos de referência:
Google preparando nova rede social, Circles

Facebook

O Facebook se torna cada vez mais a rede social do brasileiro, além disso há hoje também o que os usuários chamam de "Orkutização" do Facebook. A rede se destaca pela alta aceitação do internauta brasileiro e também pelas crescentes possibilidades de engajamento entre consumidor x marca.

Artigos de referência:
Brasil tem a maior taxa de crescimento no Facebook; rede alcança 687 mi de usuários
Brasil lidera crescimento do Facebook no mundo

O e-commerce brasileiro

O e-commerce brasileiro cresceu bastante esse ano, no entanto, ainda enfrenta problemas básicos para o seu funcionamento, como de logística e atendimento. No caso da logística ainda é possível entender, já que nosso país ainda carece de sistemas de logística que superem os Correios e Telégrafos (que frequentemente entra em greve, o que acaba por prejudicar as entregas). No caso do atendimento, não há desculpa.

A maioria dos e-commerces no Brasil ainda possuem um atendimento muito aquém daquele esperado pelo consumidor. Basta ver o número de reclamações de clientes em sites como o Reclame Aqui, por exemplo, onde ainda é possível encontrar reclamações de problemas que poderiam ser fáceis de resolver, mas que a empresa tem dificuldades em resolver e ajudar o consumidor (leia o post "Quanto vale o seu cliente?").

Para o próximo ano, creio que mais empresas participem também do Black Friday. Muitas já participam, contudo oficialmente poucas.

Artigos de referência:
E-commerce deve crescer 25% em 2012

As empresas de telefonia

Não existe evolução da internet sem infra-estrutura. Não há como. E, em minha opinião, esse é um dos maiores gargalos da internet brasileira, ainda. Procure um pouco nos sites de redes sociais e poderá perceber que tem sempre alguém reclamando de baixas velocidades x planos contratados, quedas constantes de conexão, dentre outros problemas comuns ainda na nossa internet. Parte disso deve-se a empresas de telefonia, mas também aos governos e órgãos reguladores que precisam fiscalizar e punir abusos e ineficiência desse tipo de serviço. Afinal, em um país que vai receber as Olimpíadas, a Copa do Mundo, dentre outros eventos importantes, é inadmissível que a internet não funcione com eficiência.

Quem participa de eventos (principalmente os de internet, onde todos querem estar conectados para divulgar as novidades através do Twitter, Facebook, etc) é sempre aquele drama: a organização contrata alguma empresa de telefonia, mas sempre ocorre algum problema. A verdade é que a internet no Brasil ainda é cara e pouco eficiente.

E para o próximo ano…

O que continua acontecendo no próximo ano:
  • A busca continuará cada vez mais social e eu não digo isso somente por causa de ferramentas como o Google +1/Circles, etc. Digo isso por causa da percepção do usuário perante suas possibilidades, como comentar no Google Places, utilizar o Google +1, enfim, participar mais, pois afinal, de nada valem esses recursos se o usuário não percebe sua utilidade. É como quando os sistemas de comentários em blogs e sites surgiram e não eram amplamente utilizados. Ficaram mais sociais ao passo que o usuário se aproveitou desse recurso e tornou a funcionalidade cada vez mais útil para si e para sua comunidade; 
  • Aspectos relacionados ao conteúdo e a importância de seu autor continuará para o Google cada vez mais importante. Em minha opinião, há tempos o Google olha não somente para o conteúdo, mas para o seu dono, de modo que pudesse usufruir disso para questões de rankeamento, creio que isso ficará mais forte;
  • O número de acessos oriundos de dispositivos móveis será maior. Parece até clichê, pois trata-se de uma das tendências mais claras para o próximo ano, afinal, a venda desses dispositivos cresce todo ano. Lembro-me que a primeira vez que vi uma página web através do celular fiquei maravilhado, e na verdade isso não faz tanto tempo assim. Trata-se de algo cada vez mais comum, inclusive para aquela parcela da internet que ainda não está muito acostumada; 
  • O Facebook vai se "Orkutizar" cada vez mais também. O usuário está percebendo isso e alguns constantemente reclamam, já que por certo tempo a rede foi, como em alguns comentários mais elitizada e hoje é amplamente utilizada, dessa forma, conteúdos de origem duvidosa dentre os de baixo nível podem crescer.

Metas do blog para o próximo ano

Sempre tive a idéia de manter o blog atualizado, com posts que ajudassem as pessoas em seu trabalho e também nos estudos. Contudo, sempre foi algo que dependia de tempo, vontade. Na verdade nunca tive metas para o blog, algo como "esse no quero publicar x posts", "fazer x enquetes", "produzir um e-book", etc. Mas inspirado pelo post "Quais são os objetivos para os seus blogs em 2012" do site Escola Dinheiro, resolvi elaborar algumas metas para o blog, no próximo ano, onde creio que, cumprindo-as (mesmo com a correria e falta de tempo), poderei ajudar mais a comunidade e ao mesmo tempo, registrar minhas idéias e conceitos.

  1. Fazer uma publicação semanal;
  2. Gravar um podcast mensal (que se trata de um desejo que venho pensando há bastante tempo);
  3. Organizar um e-book com os melhores textos do blog e também convidar outros autores.

Até 2012!

Nenhum comentário: